Alimentação Complementar

Nutrição

02/05/2018

Por que a alimentação complementar no primeiro ano de vida não deve ser liquidificada?

Prescreve-se que o aleitamento materno seja exclusivo até os seis meses de vida. Após, a criança passa a receber uma alimentação complementar ao leite materno. Isso significa que esses alimentos não substituirão as mamadas, mas sim, complementarão sua alimentação.

Devem-se oferecer às crianças papa de fruta ou papa salgada, mas independente do tipo de alimento, é necessário dar importância à consistência da alimentação. As papas devem ser amassadas com garfo, sob a forma de purê grosso, sendo oferecidas com colher, e não liquidificadas nem peneiradas. Além de a criança estar aprendendo a diferenciar a consistência, sabores e cores dos novos alimentos, a papa consistente estimula as funções de lateralização da língua, jogando os alimentos para os dentes trituradores, e o reflexo da mastigação.

Outro aspecto a ressaltar é que as papas mais espessas e consistentes apresentam maior densidade calórica quando comparadas com as papas diluídas. Isso tem valor para as crianças com baixa idade devido à pequena capacidade gástrica e pouco consumo de alimentos. Por isso, os alimentos precisam fornecer maior quantidade calórica para suprir as necessidades energéticas.

Crianças que forem estimuladas a consumir papas consistentes desenvolvem melhor a musculatura da face e a capacidade de mastigação, aceitando facilmente a alimentação da família a partir dos oito meses.

 

Aline Ripoll Tedesco

Nutricionista Clínica

CRN 3 5699



COMPARTILHE

Facebook Twitter Mail

« Voltar