Palavrinhas de

mãe para mãe

Blog da Mamãe Colibri

Alimentação complementar após os seis meses

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on telegram
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

Por que a alimentação complementar no primeiro ano de vida não deve ser liquidificada?

As mamães são orientadas para alimentar os bebês exclusivamente com leite até os seis meses de vida. Após esse período, a criança passa a receber uma alimentação complementar ao leite materno. Isso significa que esses alimentos não substituirão as mamadas, mas, sim, complementarão sua dieta.

Deve-se oferecer às crianças papa de fruta ou salgada, sempre dando consistência. Assim, a comida deve ser amassada com garfo até adquirir a forma de purê grosso, sendo servida com colher, e não liquidificada nem peneirada. Isso porque, além de a criança estar aprendendo a diferenciar sabores e cores dos novos alimentos, a papa nesse formato estimula as funções de lateralização da língua, jogando os alimentos para os dentes trituradores, e o reflexo da mastigação.

Outro aspecto a ressaltar é que as comidas mais espessas e consistentes apresentam maior densidade calórica quando comparadas com as diluídas, o que tem valor para as crianças com baixa idade devido à pequena capacidade gástrica e pouco consumo de alimentos. Por isso, eles precisam fornecer maior quantidade calórica para suprir as necessidades energéticas. Além disso, crianças que forem estimuladas a consumir papas consistentes desenvolvem melhor a musculatura da face e a capacidade de mastigação, aceitando facilmente a alimentação a partir dos oito meses.

Aline Ripoll Tedesco

Nutricionista Clínica

CRN 3 5699

Compartilhe suas experiências nos comentários dos artigos/vídeos e ajude outras mamães que passam pelas mesmas situações que você! #UnidasSomosMaisFortes

Receba nossos conteúdos por e-mail