Palavrinhas de

mãe para mãe

Blog da Mamãe Colibri

Bebês e Pets

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on telegram
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

Se você vai ser mamãe e tem um pet em casa, saiba que animais de estimação trazem muitas vantagens para a saúde, coração e mente do seu bebê.

 

As vantagens de ter um pet pertinho do seu bebê

Os pets podem ser grandes amigos do seu bebê, além de fortalecer o seu sistema imunológico e ajudar no desenvolvimento do seu filho!

Você já cuida com muito carinho do seu pet e descobre que tem um bebê a caminho! Em meio ao mar de sensações que toma conta do coração da futura mamãe, é comum haver medos e receios sobre a convivência do pequerrucho com animais de estimação.

Mas pode ficar tranquila! Não há necessidade alguma de se separar do seu animalzinho durante a gestação, ou mesmo quando o baby já estiver nos seus braços. Saiba que existem benefícios comprovados para a saúde do bebê no contato com os bichinhos.

É claro que serão necessários alguns cuidados, mas que todos vão tirar de letra. Afinal, nada mais emocionante do que acompanhar a linda relação de amizade que vai se criar entre esses dois amores da sua vida.

Por isso, nem pensar em abandono, ok? Confira o nosso artigo e saiba como se preparar para muitas doses de fofura dessa duplinha bebê + pet!

 

Bebê e pets: amor que não se mede!

Se você tem algum receio sobre a convivência entre bebês e animais de estimação, saiba que essa relação traz inúmeros benefícios para a saúde, coração e mente do seu filho. Algo bem claro em investigações como a da Universidade de Gothenburg, na Suécia, divulgada pela revista Pais & Filhos. Foram dois estudos sobre a relação das crianças com animais de estimação, e os resultados surpreendem!

Um desses estudos revelou, por exemplo, que 49% das crianças sem animais em casa durante o primeiro ano de vida tiveram alergias, contra 43% dos bebês que tinham algum bichano. E no caso dos lares com três animais, o índice caia para 24%. E o mais legal: apenas duas crianças tinham cinco animais e nenhuma delas teve alergias.

Isso comprova que os microrganismos presentes nos pets estimulam o sistema imunológico das crianças e previnem o desenvolvimento de alergias e infecções. Sem esquecer que o contato com outras crianças e passeios ao ar livre também são importantes nesse aspecto.

Mas as vantagens não param por aí. Vamos conferir todas as coisas boas dessa incrível amizade?

 

Estimulação sensorial

Os animais são uma agradável fonte de estímulos para o bebê que começa a explorar o mundo, pois brincar com um amigo é muito mais divertido. As tentativas do pequeno em seguir visualmente o animal e tentar pegá-lo treinam sua agilidade. E quando ele consegue essa façanha, vai experimentar diferentes texturas e curtir acariciar o seu alvo.

 

Afetividade e empatia

Essas são duas lindas palavrinhas que fazem parte da relação do bebê com os pets. Os animais sabem que aquele mini ser humano é frágil e têm o instinto de protegê-lo. Aliás, você já deve ter ouvido alguma história de animais, como cachorros e gatos, que salvaram bebês.

E há uma troca de carinho, pois os bebês aprendem a receber o afeto e a retribuir de forma espontânea. Além disso, diferentes estudos comprovam que quando crescem com animais de estimação, as crianças são emocionalmente mais inteligentes e compassivas. Ou seja, elas desenvolvem a empatia em relação aos amigos de quatro patas e a outros seres humanos.

 

Autoestima

As crianças que são ensinadas a cuidar dos seus animais de estimação se sentem superimportantes e são mais seguras. É um processo que reforça a autoestima e desenvolve o senso de responsabilidade. Em alguns países, as escolas permitem bichinhos em sala de aula justamente para trabalhar esses aspectos na personalidade dos alunos.

 

Linguagem e cognição

Todos sabemos que a comunicação entre os pais e o bebê tem grande impacto no desenvolvimento cognitivo e na aquisição da linguagem. E isso também acontece com os pets, pois as tentativas do bebê em se comunicar fazem com que eles respondam. Uma troca que reflete na melhora da capacidade futura do bebê no campo da comunicação e eleva o seu coeficiente intelectual.

 

Família e amigos

Os animais, hoje em dia, fazem parte das famílias. E na convivência com os maninhos peludos, os bebês aprendem a tê-los como fonte de segurança e cumplicidade. Com isso, estabelecem relações sociais com facilidade e desenvolvem laços mais fortes e profundos. Traduzindo: crianças que crescem com animais de estimação são mais felizes!

 

Preparando o pet para a chegada do bebê

Uma coisa muito importante para dar início a essa amizade bacana, é cuidar dos preparativos para a chegada do bebê. Conhecendo bem seu pet, você vai encontrar a melhor maneira de começar essa interação. Em primeiro lugar, entenda que a presença de um novo membro da família afeta o seu pet. Sendo assim, ele não deve associar as mudanças ocorridas com o seu filho ou filha, o que pode despertar ressentimentos. Então, tudo deve ser feito de forma gradual e desde antes do nascimento, combinado?

Olha essas dicas:

  • No caso dos gatos, cheirar as roupinhas e deixar que eles se deitem pelo quarto do bebê ajuda na familiarização. Basta lavar tudo muito bem depois.
  • Quando o bebê chegar, permita que o pet cheire o seu pezinho e fique por perto. Faça isso com calma e tranquilidade, sem muito agito. Pode ser amor à primeira cheirada ou um breve afastamento até entender o que está acontecendo.
  • Se o bebê chorar, o melhor é afastar um do outro e tentar a interação numa nova oportunidade.
  • Não os deixe sozinhos nem force aproximação. Tenha paciência e a certeza de que, logo, serão best friends.
  • O ciúme é normal. Então, não esqueça de algum tempinho para brincar e dar atenção para o pet. Ele precisa continuar sentindo que é amado.
  • Nos cachorros, dê banhos uma vez por semana e, depois dos passeios, higienize as patinhas.
  • Escove os peludos com regularidade para remover sujeiras e pelos mortos.
  • Evite que o pet dê “lambeijos” na criança, especialmente nas mucosas (olhos, boca e nariz).

Deixamos por último uma regrinha de ouro: vacinação em dia. Você já sabe que as vacinas são fundamentais para o seu filho. No caso dos pets, isso não é diferente. Eles também precisam de cuidados com a saúde e as vacinas fazem parte disso. Converse com o veterinário e fique por dentro de todas as imunizações que os peludinhos precisam, assim como as desvermifugações.

E além de tudo isso, sempre é importante ressaltar que vale um papo com o pediatra sobre o assunto. Ele também vai saber trazer orientações bem legais, até mesmo por conhecer bem o perfil e as características de saúde do seu pequenino.

Viu como não precisa ficar preocupada com essa relação bebê + pet? Desde cedo, o seu filho vai aprender a ter carinho e respeito aos animais, à natureza e ao próximo!

Compartilhe suas experiências nos comentários dos artigos/vídeos e ajude outras mamães que passam pelas mesmas situações que você! #UnidasSomosMaisFortes

Receba nossos conteúdos por e-mail