Palavrinhas de

mãe para mãe

Blog da Mamãe Colibri

Meu bebê ainda não anda! Isso é normal?

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on telegram
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

Engatinhar, falar e andar são momentos muito aguardados pelas famílias. Mas a demora para a criança em alcançar tais etapas também pode gerar muita ansiedade. Saiba como driblar isso!

O importante é entender e respeitar as particularidades de uma criança. Uma tarefa que pode não ser fácil. É comum as mamães compararem os seus pequenos com os filhos de pessoas mais próximas. E isso já gera um desconforto e uma pulguinha atrás da orelha, quando os pequenos demoram a caminhar.

Fique tranquila, mamis! Vamos lhe mostrar que cada um tem o seu próprio tempo e respeitar isso é fundamental para o seu baby e para você!

Quando o bebê começa a andar?
Em primeiro lugar, é preciso saber que não há uma idade certa para o bebê começar a caminhar. Segundo especialistas, isso pode acontecer entre dez e 18 meses. Ou seja, o que existe é um período em que a maioria das crianças inicia esse processo. Dessa forma, podemos dizer que não existe bebê apressadinho e nem bebê preguiçoso. Cada um deles tem o próprio tempo.

O mais importante é você transmitir segurança para o pequeno. Assim, ele vai se sentir motivado e, cada vez mais, se arriscará a dar mais e mais passinhos. Quer saber como você pode ajudar? Fique atenta às nossas dicas!

Meu bebê ainda não anda! Posso ajudar?
Preparamos algumas dicas para você estimular o bebê a andar, que vão desde deixar a casa segura até os sapatinhos mais adequados para essa fase. Tudo sempre supervisionado, ok? Vamos lá!

  • Ambiente seguro: Para seu filho se exercitar e treinar livremente, é muito importante criar um ambiente organizado e seguro. Deixe o local limpo, tire objetos do caminho – nada de coisas espalhadas pelo chão. Garanta uma movimentação o mais livre possível, sem toalhas para puxar, quina de móveis ou vasos para quebrar.
  • Deixe o bebê no chão: Depois de tirar os obstáculos do ambiente, permita o contato do bebê com o chão. Por mais gostoso que seja dar colinho para o seu pequeno, colocar ele no chão também ajuda a andar.
  • Mais autonomia: Cada vez que o seu bebê quer algo, você alcança para ele? Saiba que isso também pode atrapalhar o processo de andar. Permita que ele vá até o local onde está o objeto e tente pegar. Isso com segurança, é claro. Essa autonomia vai fazer com que ele se sinta mais animado para caminhar!
  • Calçados adequados: Aquela sandalinha cheia de laços ou o tênis moderninho podem ser inimigos na hora dos primeiros passos. Procure algo que não machuque o pezinho, ou que possa fazer o bebê escorregar. Alguns especialistas indicam calçados mais firmes, outros preferem os mais macios. Há, ainda, quem defenda os pés descalços. Portanto, vale observar o que funciona melhor e deixa o seu baby mais confiante.
  • De um para outro: Essa pode ser uma forma muito divertida para o bebê que está aprendendo a andar. Basta que ele fique entre duas pessoas que vão incentivar o seu deslocamento. Mostre um brinquedo, bata palminhas, convide ele de braços abertos. Depois, nada melhor do que uns beijinhos de recompensa pela aventura!
  • Diferentes texturas: Que tal colocar o bebê para experimentar o gramado? A superfície sem atrito também pode ser um convite para o baby com medo de andar sozinho.
  • Pequenas ajudinhas: Experimente enrolar uma toalha, ou algum tipo de tecido que possa ser apoiado no peito do bebê. Passe embaixo dos bracinhos e segure pelas costas, para que ele se sinta seguro. Ele também pode se apoiar em um banquinho que deslize ou até mesmo em um andador de empurrar. Trata-se de uma espécie de carrinho, no qual o bebê se apoia e consegue se deslocar sozinho, naquela fase em que ele já está dando os primeiros passinhos e precisa só de uma ajuda. De novo: sempre com o acompanhamento de um responsável!
  • Andar de mãos dadas:Pegue a mãozinha do seu filho e caminhe com ele. Além de ser um momento delicioso, ele pode se encorajar a dar umas passadinhas sozinho.

Depois, é só se controlar para não amassar de carinhos aquele serzinho andante!

 

O que você NÃO deve fazer!
Durante esse processo, vão ser muitas as vezes em que o bebê vai cair de bumbum. O importante é não rir, não gritar ou passar a ele a sua ansiedade. É nessa hora que ele pode ficar traumatizado ou frustrado.

E não fique brava se ele não conseguir. Ajude na hora de levantar, com aquele sorriso amoroso de motivação. Todo apoio é bem-vindo para que ele não desista.

Quando o tombo acontecer, não se desespere. Confira se o pequeno bateu a cabeça e fique atenta aos sinais de sonolência ou vômito. Caso o comportamento tenha se alterado, fale com seu médico.

Posso usar o andador para estimular meu bebê a andar?
Quando se fala em andadores, muita gente ainda tem dúvida se esse acessório pode ou não estimular o bebê a caminhar. Pois saiba que o seu uso não é recomendado pelos pediatras no mundo inteiro.

No Brasil, desde 2013 a Sociedade Brasileira de Pediatria desenvolve uma campanha contra o uso desses dispositivos, os quais considera perigosos e desnecessários. E são vários os motivos para isso. Segundo a entidade, os andadores podem fazer as crianças perderem o controle e o equilíbrio. As consequências seriam quedas de degraus e escadas, além de muitos tombos.

Para os pediatras, o acessório também acaba “ensinando” o bebê a andar na ponta do pé, o que não é a forma natural de caminhar e atrasa o processo. A criança pode levar mais tempo para ficar em pé sozinha.

E não é só isso. O baby aprende a correr de maneira errada, fora do tempo normal, e gasta menos energia. O andador facilita o acesso a locais perigosos, como o fogão.

Quando é hora de procurar o médico?
Vale a dica de confiar nos seus instintos. E, além disso, fique atenta a alguns sinais, mamãe:

  • Caso seu baby esteja com mais de 10 meses e não tenha começado a apresentar sinais de locomoção, como engatinhar, se arrastar sentado, rolar pelo chão ou fazer movimentos que lembram uma minhoca, converse com o seu pediatra para investigar a causa.
  • Se o pequeno não andar até os 18 meses (um ano e meio de idade), também é necessária a avaliação do pediatra.

Lembre-se que, nessas horas, colocar no Google “meu bebê ainda não anda” pode causar ainda mais ansiedade. O acompanhamento de um profissional especializado é imprescindível. Ele vai saber se algo precisa ser feito.

Esperamos que o texto tenha ajudado a tirar as suas dúvidas, mamãe. Para saber mais informações e deixar sugestões, escreva nos comentários. Vamos adorar ajudá-la nessa jornada que é a maternidade!

Compartilhe suas experiências nos comentários dos artigos/vídeos e ajude outras mamães que passam pelas mesmas situações que você! #UnidasSomosMaisFortes

Receba nossos conteúdos por e-mail