Palavrinhas de

mãe para mãe

Blog da Mamãe Colibri

Não sabe como lidar com os primeiros dentinhos do bebê? Aprenda com a gente!

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on telegram
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

O surgimento dos primeiros dentinhos do bebê é delicado para eles e as mamães. Aprenda dicas que vão ajudar muito nesse processo, garantindo uma risada gostosa.

O nascimento dos primeiros dentinhos do bebê é um momento desafiador para eles e as mamães. Dores, irritação e até um pouco de febre podem surgir. Mas algumas medidas simples ajudam muito a enfrentar esse processo natural. Veja o que fazer e em que momento se preocupar.

Ter filhos pequenos é viver, em curtos espaços de tempo, muitas fases e descobertas, não é mesmo, mamãe? É uma verdadeira mistura de alegrias e desafios que fazem parte da experiência da maternidade. Um dos momentos que podem ser um pouco angustiantes é o nascimento dos primeiros dentinhos do bebê.

Mas fique calma. Esse texto foi pensado para ajudar a encarar essa fase da forma mais tranquila para você e o pequeno. Vamos, juntas, entender melhor esse processo e como lidar com ele?

O surgimento dos dentinhos do bebê é incômodo, de verdade

Se olharmos para o começo do processo da dentição, poderíamos falar do útero materno. No processo de formação do baby, durante a gravidez, já surgem o que os especialistas chamam de botões dentários; uma espécie de fundação para o posterior aparecimento dos dentes de leite.

A partir dos três meses, em alguns casos, mas de forma mais comum por volta dos seis meses de vida, os dentinhos do bebê começam a romper a gengiva. É um processo bastante incômodo para os pequerruchos e as mamães. Por sentirem dor e coceira, eles ficam mais irritados. Algumas vezes, o nascimento do dente é acompanhado de pequenos processos inflamatórios localizados. Imagine o desconforto.

E não esqueça que estamos falando de uma situação que ocorre, em geral, até um ano de idade, embora o processo de estabelecimento total da primeira dentição prossiga até mais ou menos os três anos.

Ou seja, quando tudo começa, a comunicação do bebê se dá, basicamente, pelo choro. Por isso, os babies literalmente “abrem o berreiro”, deixando os pais agoniados. Embora muitos pais associem o surgimento dos primeiros dentinhos a episódios de vômito e diarreia, o comprovado cientificamente é que, além de lágrimas e irritação, pode surgir um pouco de febre, não passando de 38 °C.

O que a mamãe pode fazer para ajudar?

Bem, a primeira sugestão para encarar esse momento é ter bastante paciência. O surgimento dos dentinhos do bebê é algo natural e os incômodos associados a isso são temporários. Mas existem algumas dicas e cuidados para tornar essa fase mais tranquila.

Massagem alivia

Reservar pequenos momentos para massagear a gengiva do seu pequenino, no decorrer do dia, vai ajudar bastante. É um hábito que ameniza a coceira e ardência tão incômodas. Você pode fazer isso com uma gaze umedecida, inclusive usando calmantes naturais, como a camomila. Tudo, é claro, com total atenção à higiene. Lave bem as mãos e use produtos devidamente higienizados.

Por sinal, muita atenção à higiene

É isso mesmo! O cuidado com a higiene bucal de seu filho deve ser mantido desde o nascimento. Hoje em dia, já existem modelos de escovas de dentes adequados, até mesmo para a faixa etária entre zero a dois anos. É um cuidado que auxilia no surgimento dos primeiros dentinhos e previne outros problemas eventualmente causados por germes e bactérias. Como o aumento da salivação também pode ser um sinal do surgimento dos dentes, outro cuidado importante é limpar a boquinha do pequeno com frequência. Isso evita alergias e irritações de pele.

Brinquedinhos especiais são bons aliados

Você ainda pode contar com linhas de brinquedos desenvolvidos especialmente para amenizar os desconfortos do nascimento dos dentinhos do bebê, mamis. São opções como mordedores e dedeiras, que trazem bastante alívio. E uma boa sugestão é deixá-los na geladeira por uns minutinhos, antes de entregar ao baby. Ele vai se sentir ainda mais confortável. É uma recomendação que também vale para os alimentos, no caso de crianças já na fase da dieta sólida. Dê preferência às frutas e aos alimentos frios.

Analgésicos podem ser necessários

Os medicamentos serão sua última alternativa, mas podem, sim, ser necessários. Observe se o pequeno dá sinais de dor muito intensa e persistente e tente todas as outras possibilidades que acabamos de mencionar. Se nada estiver funcionando, converse com o seu pediatra, para avaliar a introdução de analgésicos.  Pode ser o caso, quando nascem os dentes da frente, tanto na arcada superior, quanto na inferior. Esse é o momento de dor mais aguda. Mas jamais medique seu filho sem orientação médica.

Os sinais de alerta

Ufa, que alívio, hein? Agora você já entende melhor como se dá o nascimento dos dentinhos do seu bebê e tem ferramentas para lidar com isso.

Mas mãe que é mãe sempre vai se fazer aquela perguntinha: “E quando eu devo, de fato, me preocupar? Como perceber que algo está errado?”. Vamos às respostas, pois há mesmo sinais de que alguma coisa pode não estar fluindo dentro da normalidade.

Como falamos no começo dessa nossa conversa, a época do surgimento dos primeiros dentinhos varia bastante. Muita gente não sabe, mas há casos de bebês que nascem com dentes. É uma exceção, é claro, mas é preciso ter em mente que o desenvolvimento das crianças não é padrão e tem seu próprio ritmo.

Portanto, nada de ansiedade. O fato é que o aparecimento dos dentinhos é comum até por volta de um ano de idade. Caso isso não aconteça, é aconselhável levar a criança a uma odontopediatra, para analisar a situação.

Em alguns casos, o aumento do volume da gengiva, provocado pelo dente que tenta emergir, pode estar impedindo o processo. Tendo em vista, também, que, para a maioria dos bebês, essa é uma fase que coincide com a introdução da alimentação sólida, uma coisa pode conduzir à outra. A dieta baseada apenas em itens pastosos, por exemplo, não estimula a mastigação; o que faz com que o corpo não “entenda” que é hora de surgirem os dentes.

Medicamentos ingeridos pela mãe durante a gestação também podem estar por trás disso. Por fim, há síndromes e doenças genéticas associadas à falta de dentes e que podem ser investigadas.

No mais, tenha atenção, ainda, à ocorrência de febre alta, que não é comum, e aproveite esse momento de desabrochar do sorriso do seu pequeno. Afinal, poucas coisas são tão deliciosas quanto a risada de um bebê. Com carinho e atenção a cada detalhe, os desafios dos primeiros dentinhos logo ficam para trás.

Compartilhe suas experiências nos comentários dos artigos/vídeos e ajude outras mamães que passam pelas mesmas situações que você! #UnidasSomosMaisFortes

Receba nossos conteúdos por e-mail